Festival de Turismo de Gramado: O Brasil que de fato dá certo

0
9816
(Foto: Jeff Severino)
(Foto: Jeff Severino)

(*) Linoel Dias

O título desta coluna poderia ser substituído, facilmente, por Festival de Turismo de Gramado – O Brasil que de fato dá certo e que não depende do governo.

Afinal, qual é o segredo do sucesso de um empreendimento eminentemente brasileiro bater recordes sucessivos de vendas, numa economia em recessão e num ano de profunda crise política? Além disso, a iniciativa depende de investimentos de empresas, de crédito e da confiança do consumidor.

As respostas, para esse intrincado quebra cabeça, podem ser encontradas nas equações: Iniciativas inteligentes + Inovação + Gestão = Sucesso.

Em 1988, duas jovens senhoras – Silvia Zorzanello e Marta Rossi (na foto entre Eduardo Zorzanello e Marcus Vinicius Rossi, diretores da FESTURIS de Gramado) – apostaram na grife Gramado, que começava a despertar para o mercado nacional. A pequena cidade, colonizada pelos imigrantes portugueses, italianos e alemães, cheia de hortênsias, alguns hotéis e pousadas, tinha o seu charme como referência forte no sul do Brasil.

As duas ousadas empreendedoras vislumbraram que a cidade poderia ser um excelente palco para a discussão e negócios da indústria turística.


Há 28 anos nascia o Festival de Turismo de Gramado

A determinação e a ambição de transformar o evento em referência nacional também contribuíram em muito, porque desde a primeira edição elas se voltaram também para o mercado internacional. Participaram de feiras, com o objetivo de conhecer tendências do setor, entender o mercado, analisar a dinâmica do mesmo, enfim, após alguns anos tornaram-se também referência internacional.

O evento sempre foi tratado visando à qualificação, modernização e foco em resultados, buscando a satisfação dos públicos envolvidos (expositor e participantes dos diferentes nichos que formam a cadeia turística) por isso também o sucesso do evento.

Em julho de 2010, Silvia Zorzanello assumiu um posto ainda mais alto e importante, fazendo parte de uma galeria imorredoura, deixando sua biografia gravada em todos os corações. Antes disso, ela e Marta transmitiram o mesmo carinho e entusiasmo aos filhos sucessores, para seguir adiante a tarefa que começaram.

Para 2016, o objetivo é investir pesado no mercado Asiático, sem perder de vista os destinos nacionais, novas tecnologias e o lançamento de um novo espaço, agora com foco no segmento de luxo.

2015 já se foi e, na opinião de Marta Rossi, “um ano de pés no chão e pouca purpurina, o que permitiu o exercício maior da criatividade e apresentar um evento maior, mais consistente, belo e de alto nível”. Ainda assim, o FESTURIS contou com 14 mil profissionais do setor e resultou em um volume de negócios em torno de 212 milhões de reais em duas tardes de evento.

A 28ª edição acontecerá de 3 a 6 de novembro e espera-se repetir o mesmo impacto econômico do FESTURIS anterior ou ainda maior, com o lançamento do FESTURIS Gastronomia, ratificando que o Brasil dá certo, com ou sem governo.

(*) Linoel Dias é jornalista

apoio_04

SEM COMENTÁRIOS