Lula detona Gleisi e confirma fala de Nelson Jobim, que disse ser a ministra da Casa Civil despreparada

0
264

Nada como o tempo – Ex-ministro da Defesa, o gaúcho Nelson Jobim, que presidiu o Supremo Tribunal Federal, foi ejetado da Esplanada dos Ministérios a mando da presidente Dilma porque declarou o que metade do Brasil já sabia. Que as então nomeadas ministras Gleisi Hoffmann e Ideli Salvatti, da Casa Civil e de Relações Institucionais, respectivamente, eram despreparadas para as funções que assumiram. Jobim foi além e disse que Gleisi sequer conhecia Brasília direito. Esse foi o estopim para que a presidente demitisse o único ministro que deixou o governo sem estar envolvido em algum escândalo.

Que Gleisi Hoffmann é desprovida de qualquer dose de genialidade não é novidade alguma, mas o ex-presidente Luiz Inácio da Silva fez a gentileza de ratificar o pouco conhecimento da senadora pelao PT do Paraná.

Convocado pelos portuários para conter o desapontamento da categoria com a Medida Provisória dos Portos, que prevê a privatização do setor, Lula abusou da sua conhecida verborragia e detonou a ministra-chefe da Casa Civil, alegando que ela desconhece o assunto. “A ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann tem pouco conhecimento do assunto”, declarou o ex-metalúrgico, que cada vez mais manda no governo da companheira Dilma Rousseff.

A pouca habilidade de Gleisi Hoffmann já irritou Dilma em diversas ocasiões, que pensou em dispensar a assessora, mas acabou mudando de ideia por causa de escândalos de corrupção que estavam fora do script. A presidente cogitou substituí-la pelo advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, que foi arrastado para o olho do furacão descoberto pela Polícia Federal durante a Operação Porto Seguro, caindo em desgraça nas coxias palacianas.

As declarações de Lula têm um objetivo claro. Ele deseja ganhar ainda mais espaço no governo de Dilma Rousseff e quer ver a paranaense de volta ao Senado. No caso de a presidente cair na esparrela de do antecessor, os planos de Gleisi Hoffmann de chegar ao Palácio Iguaçu, sede do governo do Paraná, em 2014 irão pelos ares.

SEM COMENTÁRIOS