Torcedores chilenos envolvidos em tumulto em São Paulo têm 48 horas para deixar o País

0
585

Juizado Anexo de Defesa do Torcedor determinou que os 23 chilenos envolvidos em tumulto na Arena Corinthians no último dia 5, durante o jogo entre o Corinthians e o Universidad de Chile, pela Copa Sul-Americana, devem deixar o Brasil em até 48 horas.

Os torcedores estiveram na quarta-feira (12) no Fórum Criminal da Barra Funda, na Zona Oeste da capital paulista, onde pagaram a fiança estipulada em audiência de custódia. Entre o grupo, 21 pagaram três salários mínimos (R$ 2.811) por crimes de desacato e danos ao patrimônio. Dois chilenos pagaram cinco salários mínimos (R$ 4.685) por terem praticado também crime de lesão corporal. Os valores serão usados na reparação dos danos causados ao estádio.

O juiz Ulisses Augusto Pascolati Junior marcou um julgamento para o dia 30 de junho, data em que o grupo de torcedores deverá retornar ao Brasil. Caso contrário, a audiência será decretada à revelia. Eles foram acusados de associação criminosa, dano qualificado, tumulto e lesão corporal.


Um pedido de prisão preventiva feito pelo Ministério Público foi negado pelo juiz. A denúncia apurou que o tumulto causado pelos torcedores provocou destruição de 150 cadeiras, um corrimão, instalações sanitárias e da porta de vidro da bilheteria do estádio.

A investigação indicou que os acusados pela depredação integram a truculenta torcida organizada “Barra Bravas” e tinham “intenção prévia e deliberada de comparecer ao evento para a prática de atos violentos, criminosos”.

Clube chileno arcará com prejuízo

De acordo com o Corinthians, o prejuízo causado por torcedores da Universidad de Chile na Arena gira em torno de R$ 100 mil. Os estragos se deram principalmente com cadeiras quebradas. Dirigentes da equipe paulista informaram que representantes do clube chileno telefonaram um dia depois da partida se disponibilizando para pagar os reparos.

O Timão garante que a relação entre os dois times clubes não foi abalada por causa do incidente provocado pelos descontrolados torcedores chilenos. Assim, não há qualquer preocupação em relação segurança para o jogo de volta, marcado para 10 de maio em Santiago. Na primeira partida, o Corinthians venceu por 2 a 0 e pode perder por um gol de diferença para avançar à próxima fase da competição.

apoio_04

SEM COMENTÁRIOS