Inflação sobe em novembro e situação do País se agrava na sombra de economia preguiçosa

0
168

inflacao_24Contagem regressiva – O mais temido fantasma da economia, a inflação, voltou a subir, contrariando as falsas profecias disparadas a partir do Palácio do Planalto. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação oficial do País medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou alta de 0,54% em novembro, apenas 0,03 ponto percentual menor do que a taxa registrada em outubro.

No acumulado do ano, a alta do IPCA é de 4,95%, ao passo que em doze meses a inflação é de 5,77%, acima do centro da meta estipulada pelo governo, de 4,5%. O índice em doze meses é o menor registrado desde novembro de 2012, quando o IPCA acumulado ficou em 5,53%. Também é a primeira no ano vez que a inflação fica abaixo do registrado no fim de 2012 (5,84%), objetivo que o Banco Central prometeu alcançar.

A grande questão não está na inflação oficial, medida por índices que se escoram em metodologias que não deixam o governo com a cabeça na guilhotina, mas, sim, a inflação real, aquela que os brasileiros enfrentam no cotidiano. Nesse caso, a inflação flana no patamar de 20% ao ano, o que é um absurdo em um país onde os pobres são os mais penalizados e têm de enfrentar o malabarismo da vida com um salário mínimo que vale a fortuna (sic) de R$ 678, valor que o PT acredita ser uma enorme conquista. Quando um salário mínimo é pouco para quem recebe e muito para quem paga, algo de errado e muito grave há na economia.

Outro problema que deve ser considerado em relação ao tema é que o governo insiste em comemorar o fato de a inflação oficial ficar abaixo do centro da meta, o que não passa de mais um embuste para ludibriar a parcela incauta da população. Os palacianos sabem da gravidade da situação, que se agiganta no rastro do fraco desempenho da economia. E qualquer economista, do estreante ao mais experimentado, sabe que inflação alta e economia desaquecida é uma bomba-relógio.

Dilma Rousseff, a presidente que dá a última palavra em termos de economia, está preocupada com o seu projeto de reeleição e por isso não se incomoda em despejar um amontoado de mentiras sobre a população. O governo é incompetente e sofre de preocupante paralisia, mas as campanhas publicitárias oficiais, repletas de efeitos especiais, enchem os olhos dos desavisados e faz com que a inflação seja apenas um detalhe. Enfim…

SEM COMENTÁRIOS