UCHO.INFO detalhou com um ano de antecedência esquema da máfia das próteses do DF

0
524

mafia_proteses_1001

A máfia das próteses e órteses do Distrito Federal foi desmantelada na última quinta-feira (1) na esteira da Operação Mister Hyde, quando policiais prenderam pelo menos sete envolvidos no esquema criminoso.

Ao contrário do que noticiou no domingo (4) o programa Fantástico, da Rede Globo, como sendo exclusiva, a reportagem exibida não trouxe os nomes dos envolvidos, assim como não revelou qualquer fato inédito que pudesse ser considerado uma monumental novidade.

As investigações, que em 2015 ainda estavam nebulosas por conta da difícil identificação dos envolvidos no esquema que visava a instalação sem necessidade de próteses em paciente, tomou novo rumo a partir de reportagem do UCHO.INFO.

Em 28 de agosto de 2015, este portal afirmou que um conhecido neurocirurgião de Brasília, acostumado a viver de forma perdulária e externando exagerados sinais de riqueza, desistiu da profissão e colocou à venda seu consultório, sempre procurado por figuras conhecidas da República. Depois disso, o médico passou a se dedicar à comercialização de órteses e próteses, algo que lhe rendeu muito mais dinheiro do que as comissões que recebia como integrante da quadrilha de médicos.


Um dos chefões do esquema, que envolvia hospitais da capital brasileira e a venda de sentenças judiciais obrigando planos de saúde a pagarem pelos produtos, chegou ao absurdo de prosseguir uma cirurgia mesmo depois de constatada a morte do paciente na mesa de operação. Isso porque o delinquente cirurgião queria receber a comissão referente à prótese instalada no cadáver. Um dos integrantes da equipe médica não se conformou com o ocorrido e revelou ao UCHO.INFO o esquema.

Em 2015, tramitou na Câmara dos Deputados a CPI da Máfia das Órteses e Próteses, sem que ao final dos trabalhos a Comissão tivesse investigado e indiciado os delinquentes que agiam deliberadamente em Brasília e seu entorno. Segundo apurou este noticioso, uma das empresas que estavam na mira da CPI teria desembolsado R$ 4 milhões para não ser incomodada.

O UCHO.INFO procurou o relator da CPI, deputado André Fufuca (PP-MA), informando-o a respeito das informações obtidas em nossa investigação e sobre o suposto pagamento de propina. O parlamentar disse que se de fato algo havia sido pago, o valor teria de ser devolvido, pois o que fora prometido acabou não sendo cumprido. Contudo, não foi assim que os fatos se deram, pois alguém recebeu para não para depor os diretores de uma empresa revendedora de próteses.

apoio_04

SEM COMENTÁRIOS